DIFERENÇAS ENTRE CALVINISMO E ARMINIANISMO – Por Dr. Wagner Pedro

DEPRAVAÇÃO TOTAL

Para João Calvino: As pessoas são tão depravadas e rebeldes  que são incapazes de confiar em Deus, sem que a obra especial da graça mude seus corações para que, por necessidade e de boa vontade elas creiam.

Para Jacobus Arminius: Somos depravados e corruptos, mas somos capazes de ter o impulso decisivo para confiar em Deus com a ajuda divina geral, que Ele dá a todas as pessoas.

 ELEIÇÃO

Para João Calvino: Deus escolheu incondicionalmente aqueles que Ele trará à fé e à salvação.

Para Jacobus Arminius: Deus escolheu trazer à salvação a todos cuja fé conheceu de antemão, mas Ele não fez isso de modo decisivo.

EXPIAÇÃO

Para João Calvino: Na morte de Cristo, Deus proveu expiação suficiente a todos, mas designou, planejou e resolveu que ela fosse eficaz para os eleitos, o que significa que Ele obteve para eles, a promessa da nova aliança: Deus operaria em seu povo a graça da fé e perseverança.

Para Jacobus Arminius: Na morte de Cristo, Deus deu expiação suficiente para todos, e designou que ela se tornasse eficaz pela virtude da fé. A expiação não executa a fé. A fé a torna eficaz; isso significa que a fé, em si, não é um dom adquirido pela cruz, mas é o meio humano de se obter  o dom do perdão adquirido.

 GRAÇA IRRESISTIVEL

Para João Calvino: O nascer de novo ou graça é a obra regeneradora, no coração, que gera necessariamente o ato da fé salvadora.

Para Jacobus Arminius: A obra regeneradora diz que é a obra que regenera o coração  em resposta ao nosso ato de fé salvadora.

PERSEVERANÇA

Para João Calvino: Deus age sem errar, mantendo na fé todos os que nascem de novo, e nenhum deles se perderá.

Para Jacobus Arminius: Deus age mantendo o seu povo, mas nem sempre impede que alguns dos nascidos de novo decaiam para destruição.

PRINCIPAIS DEFENSORES DA TEOLOGIA CALVINISTA CONTEMPORÂNEA: R. C. SPROUL e JOHN PIPER

PRINCIPAIS DEFENSORES DA TEOLOGIA ARMINIANA CONTEMPORÂNEA: ROGER OLSON e NORMAN GEISLER